Consequências Emocionais da Pandemia

ADULTO

Tínhamos uma vida acelerada com muitas queixas de diversos prejuízos enfrentados pelo modo de viver na atualidade. Contudo, este jeito foi sendo construído ao longo de um tempo e mesmo no sufoco lidávamos de alguma forma com condições que nos eram familiares. Recursos e habilidades foram criadas a fim de adequar e corresponder aquele ritmo de vida. Assim colhíamos os benefícios e os malefícios.

Embora tendo sido anunciada do outro lado do mundo, a previsibilidade do acometimento pela pandemia não era algo que quem está em um mundo de rapidez conseguisse se ater e escutar.

Quando a pandemia chega, estávamos distraídos em nossos ritmos e fomos retirados dele bruscamente.

É como se tivéssemos que embarcar para uma viagem sem destino certo e sem tempo para arrumarmos a bagagem.

A referência que temos são os antigos dramas da humanidade onde a população ou grande parte dela foi tomada por um inimigo do qual o homem desconhecia ou não sabia como combater. Porém, cada uma destas calamidades ocorreram em tempos diferentes e naturalmente compostos por cenários distintos.

Assim, são referencias, mas não certezas.

Nesta mudança brusca que a humanidade tem vivenciado as consequências não são somente físicas ou econômicas, mas também as psicológicas.

O estado emocional das pessoas esta sendo atacado por diferentes lados: para muitos, o sofrimento pela perda de entes queridos, ou a apreensão vivida constantemente quanto ao risco de pessoas próximas serem contaminadas e sofrerem consequências; a perda de empregos e a difícil situação financeira; as restrições vindas do isolamento social; dinâmicas familiares difíceis que se agravam com os conflitos vividos pelo convívio mais frequente e ou pelas tensões constantes vindas das incertezas e do medo do futuro.

Entre os sintomas mais freqüentes estão: a depressão, insônia, ansiedade, irritabilidade, inconstância de humor, abuso de bebidas alcoólicas e ou medicamentos.

Problemas emocionais que com certeza durarão para além do término da atual condição instalada pela pandemia, através de marcas que a situação deixará pelos excessos de carga emocional.

É possível mitigar alguns destes efeitos se as pessoas afetadas tiverem acesso a um cuidado psicológico, dispensado por um especialista.

O sentimento de impotência frente a uma situação tão difícil é gerador de estresse, somando-se a sentimentos de solidão e da ausência de respostas.

Muitas são as pessoas que antes da pandemia já enfrentavam crises importantes em suas vidas e que neste momento foram agravadas. Pessoas solitárias se tornaram mais solitárias, para quem já vivia uma condição financeira difícil, a situação se agravou e conflitos familiares importantes em estado de confinamento tendem a serem insuportáveis.

É importante, no entanto junto a esta reflexão pensar que mudanças como esta de tamanha complexidade também trazem aspectos positivos que podem ser sentidos ao longo do tempo. Uma condição não anula a outra.

Com a desaceleração as pessoas vêm desenvolvendo uma maior comunicação com coisas simples da vida. Foi uma brecada que para alguns, após a recuperação da desordem, podem perceber novos modos de sentir e viver a existência.

O momento exige criatividade, a importância de contar mais uns com os outros, uma maior consideração de diversos recursos e um olhar mais introspectivo. Passamos a valorizar o estar ao sol, o poder ir e vir com liberdade, o abraçar e encontrarmos com pessoas que gostamos. São algumas condições oriundas desta realidade que acabam por positivar o ser humano.

Texto publicado em : 22 de maio de 2020.

Rosângela Martins
Psicóloga
CRP 07/05917